Acontece no Setor | Fenabrave Fenabrave - Acontece no Setor
Indicadores
Atualizado em 10/11/2017
  Compra Venda
Comercial R$3,258 R$3,259
Turismo R$3,240 R$3,440
27º Congresso & ExpoFenabrave

Queda na venda de combustível breca crescimento do varejo

13 / 09 /2017

sdfgmCom queda nas vendas de combustíveis, o comércio no Brasil interrompeu em julho uma sequência de três altas mensais seguidas. Segundo o IBGE, o desempenho do comércio ficou estável no mês, em comparação com junho.

Na comparação com o mesmo mês do ano anterior, a venda teve alta de 3,1%, o melhor resultado nessa base de comparação desde maio de 2014, quando subiu 4,6%.

A economista do IBGE Isabella Nunes disse, porém, que o recuo da inflação, o saque do FGTS e a recomposição do mercado de trabalho permanecem sustentando vendas de supermercados e produtos não duráveis, como têxteis.

"Há uma demanda reprimida e as pessoas estão voltando a comprar produtos que deixaram de lado durante o período mais grave da crise", comentou ela.

O setor de supermercados, hipermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo teve alta de 0,7% na comparação com junho. Já o segmento de tecidos, vestuário e calçados subiu 0,3%.

Além dos combustíveis, que caíram 1,6%, também registraram queda as vendas de artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-0,4%); e de outros artigos de uso pessoal e doméstico (-0,2%).

"A redução nas vendas de combustíveis tem a ver com o menor nível de atividade econômica, que reduz a demanda, e com a renda ainda comprometida. Muita gente está buscando transporte público e deixando mais o carro em casa", disse Nunes.

Segundo ela, a estabilidade nas vendas gerais é normal depois de três meses consecutivos de alta. Neste período, as vendas do comércio acumularam alta de 2,2%.

O varejo ampliado (inclui veículos e material de construção) avançou 0,2% em relação a junho, com destaque para a alta de 0,9% na venda de material de construção.

Folha de SP (SP) – Mercado – 13/09/2017 – Pág. A19