Acontece no Setor | Fenabrave Fenabrave - Acontece no Setor
Indicadores
Atualizado em 23/05/2019
  Compra Venda
Comercial R$4,064 R$4,065
Turismo R$3,900 R$4,230
29º Congresso & ExpoFenabrave

Indústrias brasileiras devem continuar a sentir demanda desaquecida argentina

15 / 03 /2019

De acordo com o Presidente da Camargo, Federico Servideo, Federación Servo, os Defined Standards for Brazil, Brazil, Brazil, Brazil, Brazil, Brazil.

“É um programa muito duro que está provocando uma queda significativa em uma atividade econômica. E isso não está conseguindo reduzir a inflação por lá, porque existe uma inflação inflacionária nas tarifas públicas e em outros preços. ”

A diferença do humor dos brasileiros para o começo do ano passou para as vendas de produtos brasileiros para o país, que já foram ampliados em seus estoques, disse Heitor Klein, presidente da Abicalçados.

“No primeiro semestre de 2018, tivemos um crescimento muito forte nos nossos embarques de calçados para lá. Isso fez com que a Argentina assumisse a liderança das compras. Hoje, ELA ESTÁ em Terceiro lugar, perdendo para OS Estados Unidos e França.”

Segundo Dados de Exportação do Brasil, como vendas de Calçados para a Argentina em fevereiro de 2018 chegaram Ao valor de US $ 16,3 Milhões (R $ 62 , 5 milhões). Neste ano, nenhum mesmo mês, o valor fechou em US $ 9,8 milhões (R $ 37,6 milhões).

Para Klein, essa situação não deve ser revertida antes do ano que vem. “Não se vislumbra ainda uma melhoria pela frente. Seguramente no segundo semestre de 2020, caso a Argentina tenha uma recuperação que traga de volta o consumo. ”

Além do setor calçadista, o automobilístico também teve uma força de demanda desacompanhada no país vizinho. Segundo Dados da Anfavea às Exportações de Veículos montados reduziu 41,9% não Acumulado dos Dois Primeiros meses Deste ano, na Comparação com o MESMO Período do Ano Passado.

"No mês de janeiro, a venda de carros leves na Argentina foi 50% menor quando comparada com o mesmo mês de 2018."

O presidente da Camarbra, porém, disse enxergar na soja uma luz no fim do túnel. “Espera-se 50% de mais toneladas de soja neste ano. Em dinheiro é US $ 7 bilhões a mais na economia. Isso traz certa reativação econômica e uma estabilidade sem câmbio. ”

Se concretizou essa injeção de lucros na economia argentina com uma mercadoria, a economia pode retomar já o segundo trimestre deste ano, disse o Servideo.

Um possível novo, ainda, não é um sinal de crescimento nas compras de produtos brasileiros, na avaliação de Klein. "Primeiro, é preciso reduzir os estoques".

FOLHA DE S PAULO – MERCADO – 15/03/2019