Acontece no Setor | Fenabrave Fenabrave - Acontece no Setor

Notícias

As notícias mais importantes do mercado automobilístico
 
Indicadores
Atualizado em 27/08/2019
  Compra Venda
Comercial R$4,168 R$4,170
Turismo R$3,990 R$4,330
30º Congresso & ExpoFenabrave

Redução do preço de combustíveis nas refinarias anunciada pela Petrobras ainda não é sentida no AP

04 / 06 /2019

A redução no preço da gasolina e do diesel nas refinarias, praticado pela Petrobras desde sábado (1º), ainda não teve impacto nos postos revendedores de Macapá. É o que indicam consumidores e o Sindicato dos Postos de Combustíveis do Amapá (Sindpostos). Nas refinarias, o preço do litro do diesel está 6% menor e da gasolina caiu 7,16%.

O reajuste não chegou ao Amapá porque, segundo a direção do Sindpostos, as distribuidoras atuantes no estado ainda não repassaram aos postos a venda com a nova tabela de valores.

"Até o momento, as distribuidoras ainda não repassaram a redução anunciada pelo Governo Federal. Poderá ter a qualquer momento, mas até agora não houve nada significativo. No posto em que sou revendedor houve uma redução, mas de apenas 0,78%", esclareceu Monte.

Mesma situação ocorre em um posto de combustível no bairro Trem, Zona Central da cidade, onde a gasolina (até esta segunda-feira) estava R$ 3,96 e o diesel R$ 4,80. A gerente Juliane Ribeiro diz que a última compra dos produtos foi feita na sexta-feira (31) ainda sem o reajuste.

"Ela [redução] quase não é expressiva. Adquirimos gasolina na sexta-feira [31] por R$ 3,75 e vimos que no sábado [1º] a redução que houve na distribuidora que compramos foi de menos de 1%. Não é algo que seja rentável para nós revendedores", disse a gerente.

O reflexo do não reajuste está no centro comercial da cidade, onde os combustíveis extrapolam a faixa de R$ 4. Até em postos mais baratos, com gasolina de R$ 3,85 e diesel a R$ 3,92, o valor mais em conta não anima quem é acostumado a abastecer. É o caso do mototaxista José Orlando Soares.

"Não diminuiu nada, está o mesmo preço. Essa redução, por enquanto, não está servindo de nada para a gente. A vontade de todo mundo é que reduza para aliviar esse gasto que pesa no bolso", opinou o homem de 53 anos, que há 14 trabalha como mototaxista.

O motorista de aplicativo de passageiros, Daniel Silva, de 28 anos, acredita que somente depois da compra de uma nova remessa de combustível é que a redução poderá ser sentida no mercado.

"Os postos ainda estão com o mesmo preço de sexta-feira, sábado e domingo. Talvez quando chegar a nova remessa de combustível tenha uma redução, o que espero até semana que vem", torce Silva.

O Sindpostos lembra ainda que, mesmo com a redução nas refinarias, as revendedoras locais se baseiam nos preços praticados pelas distribuidoras no momento de estabelecer o valor ao consumidor.

"A gente faz o que a distribuidora manda. Se ela mandar com redução a gente baixa para o consumidor se ela aumenta, a gente aumenta", lembra Valter Monte.

Redução de preço na refinarias

Anúncio foi feito pela Petrobras na sexta-feira (31) e começou a valer desde sábado (1º) nas refinarias da estatal. O valor médio do litro do diesel fica 6% menor e passa a ser vendido a R$ 2,1664. O preço da gasolina cai 7,16%, e passa a ser vendido por R$ 1,8144.

A última redução do preço da gasolina nas refinarias da empresa ocorreu em 25 de abril, com um corte de 4,4%. O diesel não era reajustado desde 3 de maio, quando um aumento de R$ 2,56% elevou o preço do produto de R$ 2,2470 para R$ 2,3047.

https://g1.globo.com/ap/amapa/noticia/2019/06/04/reducao-do-preco-de-combustiveis-nas-refinarias-anunciada-pela-petrobras-ainda-e-nao-sentida-no-ap.ghtml

G1 – ECONOMIA – 04/06/2019